18.11.06

Sombras na noite.

Chave etérea
de abismos profundos,
que abre portas trancadas
em priscas eras.

Sombras fechadas,
acorrentadas na solidão
de janelas escuras,
abertas no além.

Aprisionadas,
enjauladas
em túmulos vazios,
em lápides riscadas.

Sombras na noite,
passos silenciosos,
gargantas rasgadas,
dentes brancos...
ensanguentados.

Autor: Kleverson

Nenhum comentário: