18.11.06

Salamandra de fogo.

Sou envolvido por seus abraços,
seus braços se enroscam em mim.
Luto, esbravejo, me debato, reluto,
por mais que tente, sou vencido.

Cada molécula do meu ser,
cada célula da minha vida,
está ligada a você, entrelaçada definitivamente.

Sinto-me preso, interligado,
com a alma atrelada a ti.
Ondulante e serpenteante criatura,
chama gélida que me incendeia.

Capturado por seus olhos hipnóticos,
vago em círculos ondulantes,
como serpente sob o olhar de um lagarto.
Afasto-me, me aproximo, silenciosamente...

Inflamado por suas pupilas vermelhas,
frias, geladas como o sol ártico.
Paralisado pelo frio prazer,
sinto as pontas de sua língua em minha boca,
beijos de uma salamandra afogueada.

Queimando em seus membros friso,
que me pressionam e me marcam,
fogo que me queima.
Não sei o motivo, só sei que te amo,
sob esse sol de pálido azul.
Como também sei que nunca mais verei
as verdes colinas da Terra....

Autor: Kleverson

Nenhum comentário: