17.4.07

Homenagem mais do que merecida.

Conforme uma boa parte da blogosfera já sabe, Aldemir Silva faleceu, apesar dos esforços inclusive campanha para doação de sangue. Agora fiquei sabendo que o Rafael Arcanjo e o Nospheratt tiveram a lindíssima idéia de transformar o domínio que o Aldemir havia adquirido recentemente, conforme abaixo, em um memorial para eternizar quem em vida tinha sido uma pessoa que eternizou-se nos amigos que reuniu em torno dele. Embora não o tenha conhecido, da mesma forma que me uni à campanha quando ele estava entre nós, uno-me na divulgação de tão sensível elegia.

Conforme todos já sabem, o nosso amigo Aldemir não está mais aqui, conosco. Porém, a memória dele será eterna. E para ajudar um pouquinho a manter a memória do nosso amigo Aldemir, Nospheratt e Eu tivemos a idéia de usar o domínio que o Aldemir havia registrado no início da nossa sociedade para agregar todos os posts (pelo menos os que conseguimos achar via technorati e google. Se tiver faltando algum, avisem) de homenagem feitos pela blogosfera.

O endereço é AldemirSilva.com. Aqui, além dos posts de homenagem, também tem uma carta da família, agradecendo o apoio e contando a história do nosso amigo.

Tenho certeza que vão admirar ainda mais o grande caráter do Aldemir após ler a carta.



Aqui reproduzo agora a carta da família, a qual nos dá um vislumbre do brilho ofuscante da alma do Aldemir, que brilha agora em outra esfera:
Aldemir fique com Deus e descanse em paz
April 15th, 2007

Aldemir Silva Ferreira, temos orgulho de falar desse bom rapaz, um ótimo filho e um grande irmão. Sua passagem nesse mundo foi curta, mas em pouco tempo que ele viveu deixou ensinamentos, mostrou caminhos e trouxe muito amor e alegria a todos.

Nascido em 07/12/1981 Aldemir, filho primogênito, um garoto simples de família humilde, mas com muita vontade de vencer e procurar sempre o melhor. Desde criança seu questionamento sobre o mundo, fez com que ele fosse atrás de suas respostas, procurando sempre entender o porquê da nossa existência.

Aos 18 anos, passou no vestibular para o curso de engenharia civil, ainda conseguiu terminar o primeiro ano, mas umas dores o impedia de continuar com a sua vida normal até então. Logo vieram a nossa preocupação, nós os pais e irmãos, ficamos sem saber o porquê dessas dores, ele até o momento nunca tinha sentido nenhum sintoma dessa grave doença.

Passaram-se os tempos e foi descoberta através de exames que o Aldemir tinha uma doença congênita, doença rara, chamada de Doença de Caroli. Os médicos ficaram abismados como estava o seu fígado, já não servia mais. Veio então o transplante inter-vivo em maio/2001 sua mãe foi a doadora. Após a cirurgia, Aldemir nunca mais foi o mesmo, vivendo sempre em função de médicos, sempre em hospitais. Ele ainda conseguiu viver por mais seis anos após este transplante.

Aldemir durante esses seis anos mudou completamente o seu lado espiritual, cético, foi então que os seus questionamentos vieram à tona. Nós os pais, sendo evangélicos, sempre ali ao lado tentando passar a palavra de amor, que Deus mostrava e queria que ele aceitasse. Aldemir sempre respeitador aceitava a palavra, mas ainda não entendia o porquê de tudo. Se Deus é amor e glória, o porquê ele tão jovem, estava naquele estado.

Mas o tempo o ajudou a se descobrir. Nos seus últimos dias de vida, Aldemir ainda estava aqui em Maceió. Internado na U.T.I do Hospital do Açúcar, ele dizia que estava sentindo uma coisa estranha. Estava tão bem, mesmo estando em cima de uma cama. Ele estava tão feliz, dizia que estava com muito amor pra dar, não conseguia se conter, queria abraçar a todos, amar a todos. Ele pediu um livro a uma enfermeira, e só tinha um livro disponível por perto , uma bíblia. Ele aceitou e leu seu último livro.
Aldemir então abriu a bíblia e leu para seu pai o 1coríntios capítulo 13:

1Coríntios capítulo 13:

Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei um sino que ressoa ou como um prato que retine.
Ainda que eu tenha o dom da profecia e saiba todos os mistérios e todo o conhecimento, e tenha uma fé capaz de mover montanhas, se não tiver amor nada serei.
Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, se não tiver amor nada disso me valerá.
O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.
O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca aparece, mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará.
Pois em parte conhecemos e em parte profetizamos.
Quando, porem, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá.
Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino.
Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino.
Agora, pois, vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho, mas então, veremos face a face. Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido.
Assim, permanecem agora essas três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, o amor.

Após Aldemir ter lido essa passagem da bíblia, quando estava sozinho pediu a uma enfermeira um pedaço de papel e uma caneta e escreveu a seguinte frase e pediu para que fosse colocada na parede da U.T.I:

Aviso urgente:

Eu, vocês, todos estamos DOENTES

PRECISA-SE DE ABRAÇOS

Abrace mais, beije mais, ame mais sempre!

20/02/2007

Passaram-se os dias e os últimos dias do Aldemir que veio a falecer no dia 30/03/2007 .

A saudade é imensurável , a dor da perda é muito forte. Sabemos que superar uma perda de um filho e de um irmão é muito difícil, mas nós pais e irmãos sabemos que o Aldemir encontrou a paz, que ele está nos braços do Pai. Deus a de confortar os nossos corações.

O Aldemir veio ao mundo pra ajudar e sabemos que com pouco tempo ele conseguiu iluminar o caminho de muitas pessoas, suas idéias, seus poucos e grandes conhecimentos e suas palavras de amor e carinho levaram a mudanças nas nossas vidas, e nas vidas de muitos amigos, familiares .

Agradecemos a Deus primeiramente, sem eles nós não teríamos suportado todo esse sofrimento durante esses anos, aos amigos blogueiros do Aldemir e nossos também pela campanha de doação de sangue, pelo incentivo a doação de órgãos. Aos familiares que nos confortou com palavras e que ainda estão nos ajudando com muito carinho a superar essa dor. Enfim, agradecemos a todos que estava perto ou longe da gente e do Aldemir no espaço, mais que estava próximo de nossos corações

Fica aqui algumas palavras da família , mas ditas com muito amor a todos vocês.

Atenciosamente, a família de Aldemir Silva:
Margarete Silva Ferreira (mãe), Ademir Silva Ferreira(pai), Almir Silva Ferreira (irmão) e Priscila Kelly Silva Ferreira (irmã).


Deus é inexplicável, tão quão a infinitude. Então me limito a minha estúpida razão.
(Aldemir Silva)

Descanse em paz Aldemir.

Nenhum comentário: